EducaMob reforça alerta de tolerância zero da Lei Seca em bares da cidade


First slide

Postado em: 21/05/2022



Você sabia que dirigir sob o efeito do álcool pode ser considerado crime, resultar em prisão, perda da licença de habilitação e multa de 2.934,70?

O Supremo Tribunal Federal manteve nesta quinta-feira (19), por unanimidade, a tolerância zero para o álcool para quem dirige, e as punições para quem se recusar a fazer o teste do bafômetro.

E o alerta de tolerância zero foi uma das principais mensagens de uma nova etapa das ações da equipe do EducaMob em bares de São José dos Campos, na noite de quinta-feira.

A tolerância da Lei Seca é zero e se você for dirigir, não pode beber nada. 

As ações educativas nos bares são uma parceria da equipe do EducaMob, da Secretaria de Mobilidade Urbana, com SAMU e Polícia Rodoviária Federal. 

O bate-papo integra a programação do Maio Amarelo e tem como objetivo despertar a consciência de que bebida e direção não combinam e podem resultar em acidentes. 

Com o uso de um etilômetro (bafômetro) a equipe convida as pessoas a fazerem o teste, mas sem o rigor de multas ou da fiscalização.

A administradora de empresas, Carolina Ferraz, 31 anos, entrou na brincadeira e topou fazer o teste. O resultado foi positivo, mas ela não estava preocupada porque já adotou o hábito de sair com o uso de aplicativo ou com o motorista da rodada. Apesar disso, ela acredita que ainda haja muita imprudência no trânsito. “Infelizmente as pessoas ainda não se preocupam com as consequências da bebida. Só mudam de postura quando levam um susto. Temos de pensar duas vezes antes de colocar a vida de outra pessoa em risco”, disse.

O empresário Carlos Alberto Ribeiro, 55 anos, apoiou a ação e também fez o teste. “Sempre temos o motorista da vez. E hoje não sou eu. Muito bacana essa ação. Um alerta consciente sobre o uso de bebida ao volante. Melhor ainda para os mais jovens, que têm menos paciência”, disse.

Por cerca de duas horas, a equipe circulou entre as mesas e também avisou o que pode acontecer, caso o condutor seja pego em uma blitz alcoolizado. 

A abordagem é dura e o recado é claro. Se o etilômetro marcar de 0,01 até 0,33, o condutor perde o direito de dirigir por um ano e vai receber uma multa de quase R$ 3 mil. Mas se o indicador marcar 0,34, o condutor ganha um par de algemas e vai direto para cadeia, porque hoje dirigir sob efeito de álcool é considerado crime.

Agora, se nada disso acontecer e não for pego numa blitz, você pode ser mais uma das vítimas do trânsito e ir de carona com o Samu para o setor de emergência do Hospital municipal. E é isso que ninguém quer.

O teste

O teste de bafômetro mede a incidência de álcool presente no organismo. E existe um limite mínimo, para fins legais, que é de até 0,33 mg de álcool por litro de ar expedido nos pulmões durante os testes. Até esse limite, o motorista está “apenas” cometendo uma infração de trânsito e já é multado; a partir disso, já é considerado crime. O artigo 306 do CTB (Código Trânsito Brasileiro) determina que conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência leva a penas de detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

Outras ações nos bares da cidade serão realizadas pela equipe do EducaMob, Samu e Polícia Rodoviária Federal, durante o Maio Amarelo. 

A programação do Maio Amarelo inclui ainda blitze e ações educativas. No dia 29, está programado um passeio ciclístico, com saída do Parque Ribeirão Vermelho, no Urbanova, a partir das 9h. No mesmo dia, haverá ação educativa durante o Conexão Juventude, no poliesportivo do São Judas Tadeu, a partir das 14h.